não sei se vai ajudar a galera æ, mas aí vai um tutorial completo, explicadinho, desde a instalação até a gravação final... :bandeira:


Aprenda transferir vídeos do DVD para arquivos AVI
Dá para compactar consideravelmente as imagens, quase sem prejuízo para a qualidade. Assim, um filme armazenado num DVD pode ser transferido para um ou dois CDs comuns.

1. Confira as codições do hargware

Para fazer essa conversão, você precisa de alguns recursos de hardware e de pacotes específicos de software. Se sua máquina é menos robusta que um Pentium III de 1 GHz com 256 MB de memória, você até pode tentar, mas as operações serão muito lentas e vão consumir muitas horas, ocupando toda a capacidade da máquina. Naturalmente, para cumprir todas as tarefas propostas, é necessário que o micro também esteja equipado com um leitor de DVD e um gravador de CD — ou simplesmente um gravador de DVD, que tem as duas funções. Por fim, é bom que haja bastante espaço livre em disco rígido. Grosso modo, para transformar em AVI compactado um filme em DVD de 1,5 hora são necessários no mínimo 6 GB desocupados.


2. Na base, drivers e codecs


No lado do software, a máquina precisa ter, como itens de base, os drivers Microsoft DirectX para Windows (download: www.info.abril.com.br/download/412.shl); e os drivers Aspi, da Adaptec (www.info.abril.com.br/download/3107.shl). Os primeiros são um conjunto de tecnologias para melhorar a execução de aplicações com áudio, som e gráficos. Os drivers Aspi facilitam a extração de informações de CDs e DVDs. Ainda como itens básicos, também é necessário fazer o download de dois codecs — sigla de codificadores e decodificadores: um de áudio, específico para MP3, o Lame (download: www.info.abril.com.br/download/2460.shl); e outro de vídeo, o codec do DivX (www.info.abril.com.br/download/1838.shl), que produz e lê arquivos compactados.


3. Programas para copiar e compactar


Além desses drivers e codecs, que funcionam nos bastidores, são necessários ainda os programas que fazem a interação direta com o usuário. Neste tutorial, vamos usar o SmartRipper 2.41, um ripador de DVD (www.info.abril.com.br/download/3106.shl); e o DVDx 2.1 (www.info.abril.com.br/download/3105.shl), um compactador de vídeo. O primeiro apenas extrai as seqüências de vídeo do DVD para o disco rígido — arquivos no formato VOB. O outro pega os arquivos gerados pelo SmartRipper e os converte para um formato menor, sem prejudicar substancialmente a qualidade da imagem. Isso abre a possibilidade de fazer o conteúdo do DVD caber num CD. Como regra aproximada, um filme em DVD de até cerca de 1h45min pode ser compactado para um arquivo AVI/DivX que cabe num CD de 80 minutos, ou 700 MB.


4. Instale e atualize o software


Depois de baixar programas que você não tinha, verifique se não é necessário atualizar alguma coisa. É possível que alguns dos itens básicos já estejam em sua máquina. Se, por exemplo, você tiver o DirectX 8.1, baixe a versão mais recente, que é a 9.0. No caso dos drivers Aspi, da Adaptec, vem no download um utilitário que indica se os drivers existem na máquina e em qual versão. Quando você for instalar o codec Lame, para gerar MP3, o Windows (pelo menos na versão Windows XP) vai reclamar que o produto não é um driver assinado. Siga em frente: não há problema. Instale o SmartRipper e o DVDx, e está tudo pronto para começarmos as operações propriamente ditas.


5. Copie os arquivos VOB para o HD


Coloque no drive do DVD o filme que você deseja ripar. Abra o SmartRipper. O programa exibe temporariamente uma janela na qual verifica a presença dos drivers Aspi e reconhece o disco, listando todo o seu conteúdo. Essa primeira janela se fecha, deixando ativa a tela principal do programa. Como padrão, o SmartRipper identifica o conteúdo principal do disco e marca-o para extração. No entanto, você também pode copiar itens adicionais (cenas extras, trailers e entrevistas com o diretor e atores). Para isso, clique no botão Files e observe: normalmente, o filme principal tem arquivos VOB seqüenciais com prefixos VTS_01 e os números 1, 2, 3 etc. Os outros conteúdos estão em arquivos também numerados com prefixos VTS_02, VT3_03, e assim por diante.

Clique no botão Movie. A orelha Input mostra a ficha técnica completa do DVD. Na orelha Stream Processing, você encontra um resumo dos dados. Exemplo: vídeo NTSC, com tela na proporção de 4:3, tamanho de 720 por 400 pixels. Em seguida, são listados os arquivos de áudio (dublagem) e os arquivos de legendas, em vários idiomas, se for o caso. Há outros detalhes técnicos, mas esta apresentação já basta para você seguir em frente. Na caixa Target, indique o diretório para o qual o SmartRipper deverá copiar os arquivos VOB. Ao lado, o programa informa o espaço necessário e o espaço disponível no disco de destino. Quando este último é insuficiente, o botão Start, que dá início à operação, desaparece da tela. Muito bem, clique em Start e o SmartRipper entra em operação.

Num Pentium 4 de 2 GHz e 256 MB de memória, essa operação se completa em 6min9s, para um filme de 121 minutos. Esse tempo também depende da velocidade de leitura de seu DVD. São gerados quatro arquivos VOB de 1 GB cada, mais outro menor, de pouco mais de 140 KB. Há ainda outros arquivos auxiliares, entre os quais um arquivo IFO, de índices, de 82 KB.


6. Configure os dados de entrada


Os arquivos VOB representam uma cópia do DVD no disco rígido. Portanto, a partir de agora, você não precisa mais do DVD. Feche o SmartRipper e abra o DVDx. Execute o comando File/Open IFO e indique o arquivo IFO que está no mesmo diretório dos vídeos VOB. Surge a janela Input Settings (configurações de entrada). Na seção Audio, indique, se for o caso, o idioma escolhido (alguns filmes vêm com dublagem, por exemplo, em inglês e em francês). No bloco Subtitle, escolha um idioma para as legendas, se houver. Clique em OK. O DVDx, por causa de algum bug, dá uma mensagem de erro. Siga em frente — em geral, isso não cria problemas.


7. Ajuste as saídas do DVDx


Agora, acione Settings/Output Settings (configurações de saída). Na primeira caixa de combinação, escolha o formato para o qual os arquivos VOB serão compactados. As opções são Video CD (MPEG1), Super Video CD (MPEG2) e AVI (DivX, YUV). Escolha esta última. Mas você já sabe que também pode usar o DVDx para produzir VCDs ou Super VCDs — CDs com filmes que podem ser tocados no micro e em boa parte dos aparelhos de DVD domésticos. Na seção AVI Specific (cujo nome depende do fato de você ter selecionado AVI na caixa acima), abra a caixa de combinação e escolha Use Lame. Em seguida, clique no botão Audio Lame, à esquerda, e defina a taxa de bits do som a ser utilizado no filme. É possível utilizar arquivos MP2 de até 320 Kbps, mas isso implica um aumento do arquivo final. Na maioria dos casos, a opção é 128 Kbps, com qualidade Q3 High e canais estéreo. Para filmes musicais, talvez você queira elevar a taxa para 160 Kbps.


Clique no botão Vídeo Codec e indique o compactador de vídeo a ser usado: DivX 5.0.3 Codec. A configuração na caixa Resolution depende do filme com que você está trabalhando. Se a imagem tem a proporção de cinema — ou seja, 16/9 —, escreva 704 por 304. Se a tela é normal, 4/3, digite 704 por 512. Na caixa Zoom, independentemente da proporção indicada antes, escolha Full (16/9 or 4/3 input). A seguir, clique no botão Whole para assegurar que todo o vídeo será compactado. Atenção: esse clique é extremamente importante. Sem ele, o ajuste pode indicar, por exemplo, um máximo de 10 mil frames. Isso significa que o DVDx vai encerrar seu trabalho em algum lugar no meio do filme. A confirmação de Whole aparece na caixa Time to Encode, que deve mostrar o tempo total do vídeo.

Como nosso objetivo é finalizar o filme em CD, na seção Volume Don’t (sic) Exceed, escolha a opção 80 min ISO Data CD. Isso diz ao programa que, se o arquivo AVI não couber num CD de 700 MB, ele deverá ser partido. Na prática, o corte ocorre por volta de 725 a 730 MB. Nas configurações acima, um filme de 1h45min, mais ou menos, produz um AVI que cabe num único CD. Se você estiver usando um CD de menor capacidade, faça as adaptações necessárias. O DVDx também oferece as alternativas de quebrar o arquivo num tamanho indicado pelo usuário ou num capítulo específico. Capítulo aqui, fique claro, é uma das seqüências de cenas, definidas conforme a estrutura de gravação do DVD. O comando Tools/Chapter Info dá informações completas sobre os capítulos existentes no filme.


8. Produza os arquivos AVI finais


Clique no botão Apply para salvar as configurações. Agora, acione File/Select Output e clique no botão Browse. Indique o diretório e digite o nome com o qual os arquivos AVI devem ser criados. No alto da tela, o DVDx indica que está pronto para fazer a conversão, mostrando a legenda: “Ready to encode”. Na tela principal, confira se os dados de entrada estão corretos e também os de saída. Por fim, clique no botão com o ponto vermelho (Encode) para dar início à codificação dos filmes em AVI. Agora, esqueça a máquina e espere. O ideal é que você faça esse trabalho à noite, deixe o micro trabalhando e vá dormir. Num micro Pentium III de 600 MHz, essa operação, com um filme de 121 minutos, consumiu 7h45min. Gerou um AVI de 724 MB e outro de 89 MB. Com um Pentium 4 de 2 GHz, o tempo foi reduzido para 3h30min.


9. Grave os Cds - e tarefa cumprida


Com os arquivos AVI prontos, dê um duplo clique neles para assistir ao filme e verificar se a compactação foi feita corretamente. Se tudo estiver adequado, grave os arquivos em CD e execute-os quando quiser. Em seguida, libere o espaço em seu disco rígido, apagando os arquivos VOB e AVI armazenados no sistema. Tarefa cumprida